topo

Aposentados conversam sobre a saúde do servidor com presidente da CCM Iamspe

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Com o intuito de debater sobre a saúde do servidor, a importância do Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) e a pretensa implementação do plano de saúde pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), foi realizado na manhã de 8 de maio, na Cantina Assojubs, um café da manhã com os aposentados associados.

Para falar com os aposentados, Guilherme Nascimento, presidente da Comissão Consultiva Mista (CCM) do Iamspe, plenária composta por entidades do funcionalismo e que atua em prol de melhorias para o Instituto e na ampliação do atendimento.

Guilherme Nascimento, que é professor e representante do Centro Associativo dos Profissionais de Ensino do Estado de São Paulo (Capesp), explicou que atualmente o Iamspe é mantido pela contribuição compulsória mensal de cada servidor (2%) e que o Estado não faz a contrapartida, um acordo firmado na criação do Instituto. Se esse repasse pelo Executivo fosse cumprido, seria um passo para avançar na melhoria do atendimento aos usuários.

O presidente da CCM explicou que hoje a comissão tem caráter apenas consultivo. E o ideal é que fosse deliberativo, pois são os servidores que sustentam o Iamspe e nada mais justo que eles administrem o Instituto e assim fiscalizar e saber onde é aplicado o dinheiro repassado.

Também foi falado acerca do Projeto de Autarquia apresentado pelo Governo, uma propositura que precisa ser discutida e garantida a participação decisória do servidor, o pilar do Iamspe, que, apesar de suas deficiências, é referência quando se trata de cirurgias e tratamentos oncológicos.

Para Guilherme, o plano de saúde que será imposto ao servidor pelo Tribunal é uma “loucura”, pois não se sabe como será o atendimento e o funcionário terá que desistir do seu atual contrato para se arriscar em um novo, em que a rede médica pode ser completamente diferente da qual vem fazendo uso há anos.

E se o Órgão tem a possibilidade de pagar até R$ 500,00 por vida, qual o motivo de não aumentar o auxílio saúde para esse valor e deixar que o funcionário faça sua escolha?

Programação
Algumas atividades em defesa do Iamspe serão realizadas a partir de junho:

– 18/6 – ato na frente dos Ceamas em todo o Estado;

– Agosto – Audiência Pública na Assembleia Legislativa (Alesp(;

– Pressão junto ao Legislativo para que os deputados apoiem a luta pelo Instituto.

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×