topo

Assojubs e Sintrajus nas comarcas de Guarujá e Bertioga

A Assojubs e o Sintrajus estiveram nesta terça-feira, 7 de maio, nas comarcas de Guarujá e Bertioga no intuito de informar sobre a mudança na data da Assembleia Estadual da categoria, o plano de saúde que o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) quer impor aos funcionários e a importância da permanência no Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual).

Fórum da Enseada

A Assojubs foi representada por Sidnei Dalla Marta Fernandes e Adelson Pereira Gaspar, tesoureiro e 1º tesoureiro, e o Sintrajus por Michel Iorio Gonçalves, coordenador geral do sindicato e conselheiro fiscal da associação.

Foi explicado aos servidores que como o Tribunal agendou para 16 de maio uma reunião da Comissão de Orçamento, discussão que apresentará respostas à pauta de reivindicações, o conjunto das entidades deliberou por remarcar a Assembleia Estadual da categoria para 17 de maio, às 13 horas, na Praça João Mendes, na Capital.

A respeito do plano de saúde a ser implementado pelo Tribunal, na reunião de 2 de maio, na Capital, entre os representantes da categoria e o Tribunal, foi apresentado que o intuito do TJ é contratar um serviço no qual o teto por titular, cada servidor, alcance R$ 500,00, e, para contemplar a demanda em todo Estado, o atendimento será dividido em quatro regiões, com operadoras específicas para cada uma dessas regiões.

O plano de saúde não será opcional para o servidor em atividade, que deixará de receber o auxílio saúde, atualmente no valor de R$ 336,00. E o que será custeado pelo Tribunal é a opção enfermaria. Caso haja interesse do servidor em migrar para uma categoria melhor, deverá arcar com a diferença.

Fórum de Pitangueiras

Os agregados e dependentes não serão custeados pelo TJ, o servidor terá que pagar caso queira incluí-los, mediante valores de acordo com a faixa etária. Aos aposentados será opcional, continuar a receber o auxílio saúde ou o plano de saúde. Não haverá carência, mas, sim, um limite de uso em consultas. E quando ultrapassada essa cota, acarretará em cobranças, o que hoje já existe em planos particulares, os chamados de co-participação. As internações e pronto atendimento ficarão liberadas.

Não saia do Iamspe!
Apesar da pretensão do TJ em implementar o plano de saúde, é importante a permanência no Iamspe, visando garantir uma alternativa para o atendimento de saúde.

Mesmo com as deficiências no atendimento prestado pelo Instituto, principalmente no Litoral e Interior, a luta por melhorias é constante e o Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE) é referência quando se trata de operações e serviço de oncologia.

E é  válido lembrar que o Iamspe é do servidor, pois ele o mantém por meio de uma contribuição mensal compulsória.

Reforma da Previdência
Também foi informado que é preciso dizer não à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que modifica o sistema de previdência social, dificulta o acesso à aposentadoria, aumenta o tempo de contribuição e de trabalho, diminui o valor dos benefícios e ameaça a existência da seguridade social (aposentadoria, benefícios da assistência social como o BPC e as políticas de saúde).