topo

O 8 de março unificado na Baixada Santista

Na noite de sexta-feira aconteceu o 8 de março unificado na Baixada Santista. Com o mote “Pela vida das mulheres, contra a reforma da Previdência e a redução de direitos!”, foram promovidas atividades culturais e artísticas à entrada da Estação da Cidadania, em Santos, e, na sequência, uma marcha até a Praça da Independência, no Gonzaga.

O Dia Internacional da Mulher teve centenas de atos por todo o Brasil e também manifestações em diferentes países. Uma data de resistência, com chamado de luta contra o feminicídio, política de armamento, combate à criminalização dos movimentos sociais,  partidos políticos de esquerda e à LGBTfobia, defesa da Previdência Social, dos direitos trabalhistas, diversidade sexual, das vidas negras, pelos povos tradicionais (indígenas, ribeirinhos, caiçaras, quilombolas e ciganos), meio ambiente e as vítimas das mineradoras, mães, crianças, adolescentes e enfrentamento ao racismo.

Na programação cultural, iniciada após as 16 horas, ocorreram oficinas (confecção de cartazes e estampa em camisetas), exposição de fotos, projeção de vídeos, varais com poesia, protestos, desenhos, músicas, frases, e diferentes apresentações.

Na Baixada santista, o ato foi organizado por uma comissão composta por diversos grupos e coletivos feministas, com participação das integrantes do Núcleo de Mulheres da Assojubs e Sintrajus, e teve apoio da Frente Sindical Classista, bem como dos sindicatos e oposições que a compõem. Durante a mobilização muitos judiciários marcaram presença, membros da Diretoria e seus associados.