Aprovados em Assembleia a pauta de reivindicações, bandeiras de luta e calendário da Campanha Salari

Clique aqui para a pauta geral aprovada

Clique aqui para a pauta prioritária

Clique aqui para bandeiras de luta e calendário

Com cerca de 600 servidores de diferentes comarcas da Baixada Santista, Litoral Sul e Interior, bem como de vários prédios da Capital, foi realizada na tarde desta sexta-feira, 10 de março, na Praça João Mendes, região central de São Paulo, a Assembleia Estadual dos judiciários, que aprovou a pauta de reivindicações da categoria, bandeiras de luta e um calendário de atividades da Campanha Salarial 2017.

Além dos representantes de comarcas e prédios e dirigentes das entidades de classe, como a Assojubs e o Sintrajus, os deputados estadual Carlos Giannazi (PSOL) e federal Ivan Valente (PSOL-SP) estiveram na Assembleia para prestar apoio aos servidores e incentivar a categoria a não esmorecer, pois o ano será de combates intensos contra a retirada de direitos, o caso da Proposta de Emenda Constitucional 287/2016, que versa sobre a Reforma da Previdência.

O deputado federal entende que a PEC está sendo apresentada sem muitas explicações à população: “Foi jogada no escuro propositalmente, é uma perversidade. Como vai se aposentar com 49 anos de contribuição um trabalhador que vive em áreas que a expectativa de vida é de 67 anos? Este Governo [Michel Temer, PMDB] não tem legitimidade para pedir qualquer sacrifício para a classe trabalhadora, por isso a palavra de ordem é ‘Fora Temer’. É preciso se unir!”.

Em relação à data-base, Luiz Tadeu Milito, vice-presidente da perguntou aos participantes da Assembleia se eles estavam satisfeitos com a política do Tribunal de Justiça, pois o presidente do Órgão, desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti disse que não ouve reclamações dos servidores pelas comarcas que passa. E como resposta teve um estridente não. E complementou sobre as perdas salariais: “São 18,25% devidos pelo Órgão, um quinto de nosso poder aquisitivo”.

Michel Iorio Gonçalves, presidente da Assojubs e coordenador geral do Sintrajus, em sua fala, argumentou que os judiciários devem ir às ruas para barrar a retirada de direitos que se aproxima. E o dia 15 de março, data da próxima reunião com a Presidência do Tribunal, é um dia de luta, com paralisações por todo Brasil. E puxou o coro dos presentes, lembrando o foco dos servidores na Praça João Mendes: “TJ, cumpra a data-base!”.

“A pauta aprovada pelos servidores presentes é fruto do Encontro Estadual [realizado em fevereiro], um texto unificado com as reivindicações tiradas de comarcas e prédios”, lembrou Catarina Lutfi Morgado, diretora de organização política e sindical da Assojubs, que reforçou a dificuldade que os trabalhadores vão enfrentar esse ano devido aos massacres por parte dos governos.

A pauta de reivindicações será encaminhada ao presidente na próxima quarta-feira, dia da reunião com as entidades representativas, encontro que acontecerá às 10 horas, no Palácio da Justiça, na Capital.

Outras fotos