Assembleia é realizada e judiciários entendem que não é hora de retomar as atividades presenciais

🔊 Clique para ouvir o texto

Aconteceu na manhã desta terça-feira, 21 de julho, com a presença da Assojubs e do Sintrajus, a Assembleia Geral dos servidores do Judiciário, de forma virtual, por aplicativo e transmissão em redes sociais, sobre a retomada das atividades presenciais. E a maioria dos participantes manifestou que não é a hora de voltar e preferem a manutenção do trabalho remoto.

O entendimento dos representantes e servidores é pelo adiamento do retorno ao trabalho nos fóruns para todas as comarcas, independente da fase em que a cidade se encontra na pandemia, pois o maior perigo de contágio é no trânsito para os prédios, pois muitos servidores fazem uso do transporte coletivo, como ressaltou Regina Helena Assis, presidente da Assojubs.

Para a diretora de organização política e sindical da Assojubs, Catarina Morgado, é uma irresponsabilidade por parte do Tribunal de Justiça submeter seus funcionários a esse tipo de risco sendo que a curva de contaminação é crescente em muitas regiões do Estado. E o provimento que relaciona as unidades que devem permanecer em trabalho remoto divulgado pelo órgão nesta terça (21) é outra irresponsabilidade, pois divide a categoria, que é uma só.

Há também, além do trajeto para os fóruns, a preocupação com a falta de condições de trabalho, pois o cuidado vai além da distribuição de máscaras e álcool gel. É preciso levar em consideração os atendimentos feitos pelo setor técnico e os oficiais de justiça, que atuam nas ruas, observação feita por Fernanda Villas Boas, 1ª secretária da Assojubs.

Por mais que alguns servidores acreditem ser o momento da retomada, ela é precipitada e a exposição ao vírus é fatal. Em sua fala, Claudia Damião, vice-presidente da Assojubs, reforçou que as entidades apresentem uma postura única pela preservação da vida e dê respaldo aos servidores nesse posicionamento de não voltar ao trabalho presencial.

Ficou definido o seguinte ao final da Assembleia:

1) Juntar as informações enviadas para servir de subsídios ao ofício a ser encaminhado à Presidência do TJ-SP.

2) Ter uma data única em todas as comarcas para o retorno, com um prazo suficiente para garantir a vida.

3) Seguir mobilizados até sexta, 24 de julho, com a continuidade da assembleia geral;

4) Abaixo-assinado para adiamento da data da volta presencial, seguindo com o trabalho remoto.

5) Uso de tema na foto de perfil do Facebook contra o retorno: https://www.facebook.com/profilepicframes/?selected_overlay_id=607204869912459