ASSEMBLEIA GERAL DE 12 DE MARÇO: Deliberações, calendário de ações e lutas



Na manhã de sábado, 12 de março, aconteceu a segunda Assembleia Geral dos judiciários pela Campanha Salarial 2022, ainda de forma virtual, por aplicativo de reunião, reunindo mais de 800 servidores. As principais deliberações foram: atos presenciais regionais nas comarcas e em frente ao Fórum João Mendes (16/3), Assembleia Presencial com paralisação e indicativo de greve geral (23/3) e aprovação do estado de greve.


Abertura com participação do deputado Carlos Giannazi Logo no início da Assembleia houve a participação do deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) que expressou apoio e contribuição nas lutas dos judiciários, bem como atuação na Assembleia Legislativa no Estado de São Paulo (Alesp) pela aprovação do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 22/2020, de sua autoria, que revoga o Decreto 65.021, sobre o confisco nas aposentadorias e pensões, contra o Projeto de Lei (PL) 752/21, sobre a redução das verbas das diligências de ressarcimento da locomoção dos oficiais de justiça, e a luta pela reposição das perdas salariais dos servidores.


Propostas aprovadas As propostas aprovadas na Assembleia foram as seguintes:

- 16 de março, atos presenciais regionais nas comarcas, em frente ao João Mendes e ida ao Palácio da Justiça como forma de pressão;

- 23 de março, às 13 horas, Assembleia Presencial na Praça João Mendes (capital) com paralisação e indicativo de greve geral;

- Entrar em Estado de Greve.



Calendário de ações e lutas

- 16 de março, às 17 horas, Ato Conjunto do Funcionalismo na Av. Paulista (MASP) contra os ataques aos direitos dos servidores das três esferas;

- 22 de março, prazo final para o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) apresentar a proposta de índice de reposição salarial e resposta para a pauta prioritária.

- Tuitaços durante o Bom dia São Paulo;

- Manifestação nas redes sociais usando as hashtags (#) do Tribunal de Justiça, denunciando e expondo as mazelas dentro do Órgão;

- Ir às emissoras de televisão para denunciar o TJSP;

- Novo Boletim da Campanha Salarial convocando para 23 de março (Assembleia presencial);

- Informar sobre o Estado de Greve e a Assembleia (23/3) para Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministério Público (MP) e imprensa;

- Retomar as quartas de luta (pode ser outro dia) com atos presenciais nos fóruns (horários a serem definidos nos locais) e registros para divulgação nas redes sociais;

- Fazer transmissões (se possível) dos atos em salas virtuais e vídeos;

- Idas dos representantes nos fóruns para passar informes e convocar os colegas para a luta;

- Construir e fortalecer a organização por local de trabalho;

- Procurar as demais entidades para unificar as lutas.


Proposta de pauta geral A votação da pauta geral ficou para a Assembleia de 23 de março.


Presentes Além da Assojubs e do Sintrajus, estiveram presentes representantes da Fespesp, Assetj, Aojesp, Aecoesp, Afoca, Affi, Assejurd, Affoppre, Sindjesp, AASPTJ-SP, AASPSI Brasil, ASJCOESP e Exefe-AOJ.


Participaram servidores de cerca de 90 comarcas e 20 prédios da Capital.