Assojubs e Sintrajus participam do ato Abraço ao Iamspe

Com a participação da Assojubs e do Sintrajus, foi realizado nesta quinta-feira, 25 de julho, o ato Abraço ao Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo), na Capital, atividade em defesa de uma saúde de qualidade para os trabalhadores públicos paulistas.

Pela Assojubs, estiveram presentes Regina Helena Assis, presidente, e Sidnei Dalla Marta Fernandes, tesoureiro. Pelo Sintrajus, Rosângela dos Santos.

Guilherme Nascimento, presidente da Comissão Consultiva Mista (CCM) do Iamspe, plenária de entidades do funcionalismo que milita em prol do Instituto, deu início à mobilização, que começou frente ao Centro de Integralidade do Hospital do Servidor Público Estadual e seguiu, posteriormente, em caminhada ate a entrado do pronto socorro do HSPE.

O presidente da CCM expôs que já são sete meses de inatividade por parte da Superintendência do Iamspe. E que o atual gestor do Instituto, Wilson Pollara, em resposta às demandas encaminhadas pela Comissão, se limitou a dizer que “não há o que fazer” a respeito dos problemas e necessidades nas diferentes regiões do Estado. “É por isso que estamos aqui, pois é preciso garantir o atendimento médico. E para mostrar que esse patrimônio é nosso, construído com nosso dinheiro”, frisou Nascimento.

Rosângela dos Santos, presidente da CCM Iamspe Baixada Santista e Litoral Sul, falou sobre as divulgações de que não há previsão de expansão do atendimento pelo Iamspe e nem previsão para novas contratações. Mas, o intrigante é que a arrecadação mensal dos servidores é de um valor significativo, o que leva à seguinte dúvida: como é a destinação dessa quantia se o atendimento está precarizado, não há remédios, falta material, há filas excessivas e ausência de especialidades?

Ainda em sua fala, Rosângela dos Santos apresentou a proposta deliberada na CCM Baixada Santista e Litoral Sul, de fazer a próxima atividade no Palácio dos Bandeirantes, já que partiu de lá, a Casa do Executivo, a ordem para que seja feito um corte no orçamento a ser repassado ao Iamspe.

O deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) também participou do ato e fez uso da palavra. Ele lembrou que o Projeto de Lei Complementar (PLC) 52/2018, que tem por objetivo transformar o Iamspe em autarquia especial, segue na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) e tem total apoio de seu mandato, desde que aprovado com as emendas encaminhadas pelos membros da CCM.

Na luta em defesa do Iamspe tem a paridade da contribuição pelo Governo do Estado (em contrapartida ao que é contribuído mensalmente pelos servidores), participação efetiva dos servidores no Conselho Deliberativo Administrativo, eleição direta para o cargo de superintendente e a melhoria do atendimento em todo Estado.