Continuidade da greve sanitária é aprovada em Assembleia

🔊 Clique para ouvir o texto

A continuidade da greve sanitária ou ambiental dos Judiciários foi aprovada na Assembleia dos servidores realizada, de forma virtual, por aplicativo e transmissão em redes sociais, nesta quarta-feira, 19 de agosto.

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo permanece em silêncio em relação às mortes e à contaminação de seus servidores com o cronograma de abertura dos fóruns para a retomada gradual do atendimento presencial.

As entidades representativas já encaminharam diversos ofícios solicitando tratativas com o TJ-SP, que continuam sem respostas. A pandemia pela Covid-19 não está controlada e essa é uma das premissas da Nota Técnica elaborada pelo TJ para o retorno do trabalho presencial no Judiciário.

E enquanto o Tribunal de Justiça segue sendo irresponsável com a vida de seus trabalhadores, o Governo do Estado também não fica por baixo e se aproveita de um momento delicado para passar projetos que vão destruir o serviço público em São Paulo, como o PL 529/2020, que projeta um aumento na alíquota de contribuição do Iamspe e extingue 10 autarquias e fundações, como Fundação Parque Zoológico de São Paulo, Fundação para o Remédio Popular “Chopin Tavares de Lima” – FURP, Fundação Oncocentro de São Paulo – FOSP, Instituto Florestal, Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano de São Paulo – CDHU, Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S. A. – EMTU/SP, Superintendência de Controle de Endemias – SUCEN, Instituto de Medicina Social e de Criminologia – IMESC, Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo – DAESP e Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo “José Gomes da Silva” – ITESP.

Também foram deliberadas na Assembleia:

– Nova Assembleia virtual na próxima quarta-feira, 26 de agosto, às 10 horas;

– Novo ofício a ser encaminhado para o TJ-SP cobrando o agendamento urgente de reunião;

– Manifestação à entrada do Fórum João Mendes, na Capital, sem aglomeração, e depois ida ao Palácio de Justiça para tentar ser recebido pela Presidência na sexta-feira, 21 de agosto, a partir das 11h30;

– Audiência Pública promovida pelo deputado estadual Carlos Giannazi (PSOL) contra o PL 529/2020, na sexta-feira, 21 de agosto, às 17 horas (https://youtube.com/user/CarlosGiannazi);

Reunião da Frente Paulista em Defesa do Serviço Público, que está mobilizada contra o PL 529/2020, na segunda-feira, 24 de agosto, às 10 horas (https://us02web.zoom.us/j/86986344822);

– Apagão no Judiciário na próxima quarta-feira, 26 de agosto, com a interrupção do trabalho presencial e remoto (https://facebook.com/events/910554389467325/);

– Convite às demais categorias do funcionalismo para participação no Apagão no Judiciário;

– Envio de ofício ao deputado estadual Carlos Giannazzi (PSOL) para que ele faça uma denúncia sobre a irresponsabilidade do TJ-SP com a vida dos servidores aos órgãos internacionais de defesa dos direitos humanos;

– Moção de apoio conjunta à greve dos trabalhadores dos Correios;

– Criação de eventos em redes sociais para divulgação das atividades programadas;

– Atos em frente aos fóruns em todas as comarcas que conseguirem se organizar no dia do Apagão no Judiciário na próxima quarta-feira, 26 de agosto;

– Estudo sobre o dissídio coletivo de greve.