G1: OAB pede afastamento de juíza que chamou cidade do litoral de ‘inferno’

Juíza de Peruíbe escreveu que precisaria “andar de crucifixo no pescoço”. TJ esclareceu que palavras da magistrada foram em outro contexto.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo, pediu formalmente, na tarde desta quinta-feira (2), o afastamento da juíza Juliana Pitelli da Guia, que atua na 2ª Vara de Peruíbe, no litoral de São Paulo, após ela ter feito em uma rede social, uma referência pejorativa ao município que trabalha. Inconformados com o episódio, os vereadores da cidade fizeram uma moção de repúdio à magistrada. O Tribunal de Justiça defendeu a profissional.

Em nota enviada à redação do G1 nesta quinta-feira, o TJ afirma que o contexto da publicação e do entendimento dos integrantes da Câmara de Peruíbe não condiz com o significado que a magistrada quis dar ao comentário no Facebook.

A polêmica aconteceu após a juíza responder o comentário de uma colega em uma publicação sobre a investigação do Ministério Público contra a secretária de Saúde de Peruíbe por omissão de informações. “Se exorciza desse inferno! Eu acho que vou andar de crucifixo e alho no pescoço”, escreveu Juliana.

Afastamento Em ofício encaminhado nesta tarde ao desembargador e corregedor-geral da Justiça do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Manoel de Queiroz Pereira Calças, a OAB-SP solicita a instauração de procedimento para apurar a conduta de juíza que revela inequívoco desprezo e desrespeito ao município de Peruíbe. A Ordem paulista também pede “o imediato afastamento da juíza das funções na Comarca, tendo em vista a incompatibilidade por ela criada com a advocacia e os jurisdicionados”.

Já o Tribunal afirma que em momento algum a juíza se referiu às pessoas que integram a comunidade peruibense ou autoridades constituídas do município. “Para que não se proliferem interpretações equivocadas, a juíza Juliana Pitelli da Guia esclarece que seu comentário, que tomou proporção exagerada (já que sua rede social é privada), restringiu-se, de forma metafórica, à enorme carga de trabalho atual”, diz a nota enviada à redação.

Juliana Pitelli é titular atualmente da 2ª Vara, acumula a 1ª Vara e também responde pela Seção Administrativa de Mandados e pela diretoria do Fórum.

Moção de repúdio O presidente da Câmara, Rafael Vitor de Souza (PMDB), classificou a atitude da juíza como “desrespeitosa e infeliz”. “Os vereadores ficaram indignados, assim como a sociedade como um todo. Somos nascidos aqui, trabalhamos para uma melhoria da cidade, e vem uma pessoa de fora, que escolheu a cidade para trabalhar, e faz isso. Por mais que seja brincadeira, é algo inaceitável. Espero que ela receba a punição devida”, disse o vereador.

Fonte: G1 – Publicado em 2/6/16