Greve sanit√°ria pela vida!


ūüĒä Clique para ouvir o texto

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) determinou que a partir desta segunda-feira, 3 de agosto, fossem retomadas as atividades presenciais nos fóruns, com a volta dos servidores, que não estão em grupo de risco comprovado, para atendimento aos advogados previamente agendados, andamento, carga e digitalização dos processos físicos.

Mas as medidas de seguran√ßa n√£o foram providenciadas pela administra√ß√£o do TJ-SP, como a testagem dos servidores, algo descartado, talvez por ser custoso aos cofres do √ďrg√£o, o Tribunal mais rico do pa√≠s, assim como as barreiras de acr√≠lico nos locais de atendimento ao p√ļblico, dispositivos providenciados apenas √†s salas de audi√™ncia, afinal servidores devem ser descart√°veis, ju√≠zes n√£o.

E diante da falta de preocupa√ß√£o com a preserva√ß√£o da vida de seus servidores, j√° que n√£o h√° um controle da transmiss√£o da COVID-19 no Estado de S√£o Paulo e os n√ļmeros de contamina√ß√£o pelo v√≠rus seguem aumentando, foi decretada a greve sanit√°ria ou ambiental, uma forma de adiar o atendimento presencial para que o Tribunal providencie as medidas de seguran√ßa aos que estar√£o nos pr√©dios, mantendo o trabalho remoto, que vem sendo realizado desde o come√ßo da pandemia e garantindo o funcionamento da m√°quina Judici√°ria.

A greve sanitária ou ambiental é em defesa da vida!