Presidente do TJ diz que quadro atual não permite o complemento da reposição; Assojubs novamente cob

Na manhã desta quarta-feira, 1 de junho, a Assojubs, o Sintrajus e demais entidades representativas dos servidores estiveram reunidas com o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), desembargador Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, no Palácio da Justiça, na Capital.

Após o anúncio oficial de 7,08% relativo à data-base da categoria, foi a primeira tratativa entre os representantes e Dimas. E o discurso da falta de recursos segue o mesmo, apesar dos questionamentos feitos pelo vice-presidente da Assojubs, Luiz Milito, sobre os pagamentos de outras categorias, como servidores da Fundação Casa e da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), cujos índices de reposição salarial foram os apresentados pelos cálculos do INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) – ou acima deles.

Milito destacou que a categoria está insatisfeita e segue demonstrando sua indignação por meio das “Quartas de Luta”. “Os trabalhadores querem a complementação da reposição e esperam uma resposta desta discussão”, ressaltou Milito. O presidente declarou que o Tribunal está fazendo um “esforço além da conta”, mas que o quadro atual não permite nenhum outro percentual pela reposição salarial.

O desembargador disse que o Executivo não vai liberar nenhum tipo de repasse financeiro ao Judiciário, pois tem um déficit de arrecadação devido à crise econômica. E esclareceu que recebeu do Governo uma correspondência para que o Órgão preze pela redução de gastos, já cordialmente respondido.

De acordo com o presidente, estudos foram feitos para que os pagamentos pendentes sejam inseridos na peça orçamentária para o ano de 2017. Mas o trabalho junto ao Executivo continua. E deve-se aguardar o segundo semestre e observar como vai se comportar a arrecadação do Estado.

Falta de climatização Acerca da falta de climatização nos fóruns, casos das comarcas de Santos e Cubatão, na Baixada Santista, Dimas está fazendo visitas aos prédios e conversando com os servidores para saber das demandas das regiões. E que estão sendo desenvolvidos projetos para recuperar a parte elétrica e permitir a instalação dos equipamentos condicionadores de ar.

Auxílio saúde Michel Iorio Gonçalves, presidente da Assojubs e coordenador geral do Sintrajus, abordou novamente a majoração do auxílio saúde para R$ 500,00, pagamento que sai do Fundo Especial de Despesas e não do Tesouro, como acontece com os vencimentos. “Há um grupo grande de aposentados que reivindicam esse aumento, pois são os que mais necessitam desse acréscimo. O que podemos fazer para avançar nesse tema, agendar uma reunião específica?” Dimas rebateu que o assunto já está na pauta do Órgão segue em análise.

Comissões de trabalho A relação das comissões de trabalho proposta pelos representantes foi aprovada pelo Tribunal. E reuniões devem ser marcadas. Como lembrou o presidente da Assojubs, há questões pendentes a serem debatidas – insalubridade, assistentes judiciários, valorização dos escreventes e transformação dos agentes em escreventes.