QUARTA DE LUTO E LUTA É REALIZADA: Sala Virtual de 5 de maio



Em 5 de maio, das 12 às 13h30, foi realizada a segunda Quarta de Luto e Luta com mais uma Sala Virtual da Campanha Salarial. O tema foi teletrabalho e contou com a participação do Sindicato dos Trabalhadores do Tribunal de Justiça de Pernambuco, intervenções culturais e a apresentação do Edital do Contra-Concurso "Retratos da Pandemia: Nossa vida de todo dia".


Teletrabalho Os trabalhadores fizeram suas explanações acerca do teletrabalho implementado no ano passado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo por causa da pandemia por Covid-19. Antes sem normativa e agora regulamentado por meio da Resolução 850/2021, segue sem custeio pelo TJSP, que deixou o ônus do home office para o servidor.



Além dos gastos para equipar a estação de trabalho em casa, energia e internet, ainda há a exigência de produtividade, com um aumento de 30% para os funcionários em home office. Um acréscimo imposto apenas para os servidores, pois os magistrados seguem com a meta igual ou superior. A condição já demonstra a distinção que o TJSP faz entre as classes.


Outro ponto é o limite da jornada, que, com o home office, parece não existir, expondo demandas além do horário de serviço. E a Resolução 850/2021, além de não custear o trabalho remoto, também não aplica o pagamento de horas extras.



Sindicato dos Trabalhadores do TJPE Dois representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) participaram da Quarta de Luto e Luta e passaram a experiência deles aos servidores de São Paulo. Giuseppe Mascena, da Coordenação de Administração da entidade, lembrou que teletrabalho não é benefício, é uma modalidade. E a regulamentação de São Paulo é igual a de Pernambuco, elaborada em 2015. E nenhuma das normativas fala na saúde do trabalhador, fala apenas em metas. “E meta aumentada é uma forma de punir a gente”.



Uma situação advinda com o home office é a questão da convivência, os momentos de pausa para o almoço ou café que permitiam a troca de informações sobre a categoria e as lutas, o que não acontece mais, pois os servidores estão cada vez mais distantes e à mercê dos gestores, que, na maioria das vezes, não respeitam os limites do expediente e cobram o serviço fora do horário, como retratou Hugo Leonardo Andrade, da Coordenação de Formação Sindical, Política e Profissional do sindicato. “O teletrabalho retira e estabilidade do servidor, aumentando o assédio moral”.



Contra-Concurso Foi apresentado durante a Sala Virtual o concurso “Retratos da Pandemia: Nossa vida de todo dia”. Um chamado aos trabalhadores do Tribunal de Justiça para que, por meio de fotografias e textos literários autorais, registrem e expressem parte de suas memórias vividas durante este período da pandemia, dando ênfase àquilo que tem sido o cotidiano do trabalho.

Todas as informações sobre o concurso estão no Facebook da Assojubs: https://www.facebook.com/assojubs.judiciario/photos/a.832131573563583/3738828386227206