TRANSFORMAÇÃO DO IAMSPE EM FUNDAÇÃO NA QUARTA DE LUTA E LUTO // Sala Virtual de 14 de julho



O projeto de transformação do Iamspe (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo) em fundação foi o tema desta Quarta de Luta e Luto na Sala Virtual da Campanha Salarial, em 14 de julho, promovida pelos judiciários, que seguem em Estado de Greve.


Rosângela dos Santos, oficial de justiça aposentada e presidente da Comissão Consultiva Mista (CCM) Regional do Iamspe na Baixada Santista e Litoral Sul, iniciou o debate lembrando que todos têm sonhos. E para sonhar, é preciso ter saúde e disposição visando tornar tais sonhos em realidade. Saúde essa que para os judiciários está comprometida por causa da pressão exercida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), principalmente agora com o trabalho remoto, as cobranças de metas cada vez maiores e o assédio moral.



E um dos sonhos da CCM Iamspe é ter atendimento médico digno, como disse Guilherme Nascimento, atual presidente da Comissão. Os governos não colocam a saúde como prioridade, a pandemia veio para destacar isso ao constatar como as autoridades agem para cuidar da saúde da população. Em São Paulo, foram gestões diferentes e a mesma pratica de não investimento no setor público, principalmente na área da saúde.


Mas, assim como os sonhos, que não envelhecem, a bandeira de luta da CCM também não. O trabalho da Comissão é por um Conselho Administrativo Paritário, com a participação dos servidores, e contrapartida igualitária do Governo, um compromisso firmado na criação do Iamspe e sempre desrespeitado.


E se já não bastassem os obstáculos existentes para manter o Instituto de pé, os servidores são surpreendidos com as mudanças que o Executivo implementa, e nunca com propostas de melhorias. Com o Projeto de Lei (PL) 529/2020, houve o aumento da contribuição dos servidores, dependentes e agregados e abertura da possibilidade de uso para celetistas. Em 2021 a novidade do governador João Doria é a transformação do Iamspe em fundação, uma mudança sem qualquer explicação.



Virar fundação vai permitir que parte dos leitos do Hospital do Servidor Público Estadual possa ser passado aos planos de saúde para aumentar o orçamento. Isso em serviços mais complexos, que o HSPE é excelência, como nas especialidades de neurologia, oncologia e cardiologia. Diante disso, os servidores, que sustentam o Instituto, vão ficar com 15% a menos de leitos e redução no atendimento.


Passar a Administração do HSPE para uma Organização Social não é descartada também. Guilherme Nascimento reforçou que não há nada por escrito, são informações obtidas em duas reuniões com a Superintendência do Iamspe, tratadas com Wilson Polara.


Fica clara que a intenção do Governo é privatizar o Iamspe. E para debater acerca dessa transformação em fundação, uma Audiência Pública foi marcada para 2 de agosto, às 14 horas, de forma virtual.


Resistir é necessário! Participe da Audiência Pública e defenda o Iamspe, servidor!