Entidades querem resposta sobre a reposição e convocam categoria para a paralisação do dia 28 de ab

Em reunião de entidades representativas realizada na tarde desta segunda-feira, 3 de abril, na Capital, com a presença da Assojubs e Sintrajus, ficou deliberado que os dirigentes vão buscar uma resposta acerca da definição da data-base da categoria, ainda não anunciada por Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, presidente do Tribunal de Justiça. E também ficou acordado que será intensificado o trabalho junto aos judiciários para a paralisação de 24 horas marcada para 28 de abril.

Michel Iorio Gonçalves, presidente da Assojubs e coordenador geral do Sintrajus, destacou as atividades promovidas pela Frente Sindical Classista da Baixada Santista, coletivo de entidades atuante na região, que vem mostrando aos servidores e população em geral os ataques que o governo de Michel Temer (PMDB) vem impondo à classe trabalhadora, como o desmonte da Previdência, reforma trabalhista e a terceirização total e irrestrita.

Para Luiz Tadeu Milito, vice-presidente da Assojubs, abril deve ser um mês de batalha. E é importante desenvolver uma campanha de conscientização do pessoal para integrar a categoria à luta geral. “Devemos colocar que é fundamental paralisar no dia 28”, ressaltou.

Sobre a Campanha Salarial 2017, Milito expôs que se não cobrar uma resposta da pauta de reivindicações dos judiciários, o Tribunal se acomoda.

 “Se não acordarmos agora, vai tudo ser privatizado, não vai ter mais categoria do judiciário, não vai ter mais servidor público”, argumentou Michel Iorio. Segundo o dirigente, o compromisso é percorrer o maior número de comarcas possíveis e buscar mudar a situação em poucos dias. “É tudo ou nada”, finalizou.

Cronograma  10 de abril – mobilização no Fórum João Mendes 19 de abril – mobilização no Fórum da Barra Funda 28 de abril – paralisação de 24 horas e atos regionais 5 de maio – Assembleia Estadual

Expediente protocolado Ao final da reunião, foi protocolar um expediente junto ao TJ informando que nesta quarta-feira, 5 de abril, as entidades estarão no Palácio da Justiça e querem ser atendidas por Dimas. O intuito é dar continuidade à tratativa sobre a reposição salarial da categoria deste ano.