O Dia Internacional da Mulher em Santos e na Capital

Neste 8 de março, Dia Internacional da Mulher, em defesa de seus direitos e contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287/16, que versa acerca da Reforma da Previdência, em tramitação na Câmara dos Deputados, atos foram promovidos em Santos e contaram com a presença de representantes da Assojubs e Sintrajus.

Iniciado às 12 horas, ocorreu o Dia Nacional de Mobilização, à entrada do prédio da Justiça Federal, cujo objetivo foi esclarecer aos servidores e a população sobre as consequências nefastas que a proposta de Reforma da Previdência, apresentada pelo Governo de Michel Temer (PMDB), trará para a classe trabalhadora caso aprovada.

Já no fim do dia houve a Marcha Eu Paro Por Nenhuma a Menos, uma caminhada que saiu da Estação Cidadania (Av. Ana Costa com Francisco Glicério) e seguiu até a Praça da Independência, no Gonzaga.

Organizado por coletivos de mulheres da Baixada Santista e com apoio de sindicatos e associações da região, bem como da Frente Sindical Classista, a marcha foi uma manifestação contra  o machismo, a violência, a cultura do estupro e também contra o desmonte da Previdência Social.

Homenagem da Assojubs Para saudar o Dia Internacional da Mulher, as associadas e servidoras frequentadoras da Cantina Assojubs receberam uma rosa em homenagem à data, um marco de luta por melhores condições de trabalho e direitos sociais e políticos.

Violência no Brasil O Brasil é um dos países que mais matam mulheres e transexuais. Entre os casos de violência doméstica, a maioria é presenciada pelos filhos que também são vítimas.

Para a mulher negra a violência é ainda mais brutal: os assassinatos dessas tiveram um aumento de 54.2% entre 2002-2013, consequência nítida do racismo. Por ano acontecem 50 mil estupros: a maioria ocorre dentro de casa e é praticado por um conhecido da vítima. 

Outras fotos

Ato à entrada da Justiça Federal


Ato na Capital (foto enviada por Luiz Milito)


Marcha Por Nenhuma a Menos