top of page

OFÍCIO PROTOCOLADO: Assojubs e entidades cobram negociação e informações sobre Comunicado 306/2023

A Assojubs e demais entidades representativas estiveram na tarde desta segunda, 29 de maio, no Palácio da Justiça, na Capital, no intuito de protocolar ofício junto à Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) sobre o Comunicado 306/2023 e cobrar o agendamento de reunião urgente de negociação.


ENTIDADES REPRESENTATIVAS REUNIDAS NO PALÁCIO DA JUSTIÇA / FOTO: LUIZ FELIPE DI IORIO (AOJESP)

A única reunião ocorrida este ano entre o TJSP e as entidades representativas foi em 28 de fevereiro. Após isso, nenhuma tratativa e nem a abertura efetiva de mesa de negociação.


Em relação ao Comunicado 306/23, o TJSP solicitou por meio dele que os juízes identificassem os/as servidores/as participantes das paralisações (parcial e integral) realizadas nos dias 5 e 11 de maio.


Os representantes foram recebidos por Ricardo Dal Pizzol e José Marcelo Tossi Silva, juízes assessores da Presidência do TJSP, que negaram ter conotação de assédio, intimidação e atitude antissindical o Comunicado 306/2023. Que a finalidade era apenas de levantamento para fins de registro de frequência. “Não é, de forma alguma, orientação do Tribunal para os gestores aplicarem faltas injustificadas".



Foram feitos questionamentos acerca da reposição de 6% ser muito aquém do que é devido (31,82% de perdas salariais desde 2002), sobre a grande diferença de valores do auxílio saúde entre magistrados/as e servidores/as e o silêncio no que diz respeito à implementação de mesa de negociação.


Pizzol disse ser o índice de 6% o possível para o TJSP. Quanto às demais cobranças, os juízes assessores se limitaram a afirmar que irão levar ao conhecimento do presidente, desembargador Ricardo Mair Anafe, assim como o ofício protocolado.


A Assojubs esteve presente com Luiz Tadeu Milito, vice-presidente, e Mariana Pecci, secretária geral. E o Sintrajus com Rosângela dos Santos.

Commentaires


bottom of page