SERVIDORES (AS) DE CUBATÃO “CHUTAM O “BALDE”: Ato denuncia falta de condições de trabalho no Fórum

Na manhã desta quinta-feira, 7 de abril, os (as) servidores (as) da Comarca de Cubatão, com apoio da Assojubs e do Sintrajus, promoveram o ato “Chutando o Balde” para denunciar à população a insegurança a que são submetidos (as) por causa da falta de condições de trabalho no Fórum, que apresenta problemas desde 2014.



Recentemente, o prédio ficou sem água, sendo necessária a suspensão do expediente e dos prazos devido ao ocorrido. Além disso, o local segue com rachaduras e erosão entre o piso e as paredes, sem contar nos estalos ouvidos pelos (as) funcionários (as) durante a permanência no fórum. Há ainda manutenção precária dos bebedouros e insuficiência de lâmpadas nos setores.


Para agravar o quadro, destaca-se o descaso dispensado pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP) aos (as) servidores (as), que disponibilizou baldes para uso nos banheiros enquanto durasse a falta de água.



Para expor essa falta de condições de trabalho, os (as) funcionários (as) estiveram reunidos à entrada do Fórum para deixar em evidência como é o tratamento do TJSP em relação às mazelas do cotidiano. Mazelas essas recorrentes e até hoje não solucionadas.


Desde 2014

Não é de hoje que são relatadas preocupações com a estrutura do fórum. A situação se arrasta desde 2014, quando constatadas as rachaduras nas paredes das unidades cartorárias e os vãos formados entre os pisos e as paredes. Após oito anos, a erosão ainda pode ser observada no lado de fora do prédio, bem como o limo e reboco caído em várias partes.



Pedido de socorro!

Com apoio da Assojubs, em 2014 os (as) funcionários (as) já expuseram a situação em protestos para a população e mídia. Em 2019, a ocorrência era a mesma e igualmente aconteceram manifestações sob o mote: Cubatão pede socorro!


O próprio Tribunal de Justiça, elaborou um relatório em 2019 que afirmava ser um dos mais precários do Estado o Fórum de Cubatão. Ele encabeçava a lista de casos graves.



Só a luta muda a vida!

É somente com luta e resistência que o Tribunal vai deixar a zona de conforto e buscar resolver a questão. Só a força da categoria pode provocar a mudança para barrar o descaso do Órgão com a vida dos (as) servidores (as), que passam diariamente pelo receio de estar em um lugar inseguro.


Por isso a mobilização, denúncias e protestos devem continuar. É preciso mostrar nossa voz para garantir respeito aos direitos e fazer com que o Tribunal se responsabilize pela vida de seus servidores.


Galeria de Fotos