Assojubs, Sintrajus e Sintragen Litoral reunidos sobre a falta de pagamento aos vigilantes pela empr

Na manhã desta segunda-feira, 19 de agosto, a Assojubs e o Sintrajus estiveram reunidos com o Sintragen Litoral no intuito de buscar uma solução para a falta de pagamento aos funcionários da vigilância (terceirizados) pela empresa de segurança que prestava serviço ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

A empresa de segurança e vigilância patrimonial não cumpriu com o salário do mês de agosto dos trabalhadores e também não pagou as verbas rescisórias.

O encontro entre as entidades aconteceu na sede do Sintragen Litoral (Sindicato da Categoria Profissional Diferenciada dos Empregados e Trabalhadores do Ramo de Atividade de Vigilância e Segurança Privada de Santos e Região), em Santos.

Ficou acordado que será enviado um ofício conjunto ao Tribunal para o agendamento de uma tratativa entre a Assojubs, o Sintrajus, o Sintragen, o TJ e a nova empresa contratada. O foco da discussão é negociar para que haja a efetivação de todos os funcionários dispensados nas mesmas condições salariais, bem como as verbas rescisórias.

Participaram da reunião Regina Helena Assis, presidente da Assojubs, Michel Iorio Gonçaves, coordenador geral do Sintrajus, Nivaldo Bispo do Nascimento, José Arimatéa dos Santos e Walter Neubauer, secretário geral, secretário de Finanças e advogado do Sintragen, respectivamente.